Retrospectiva: do casamento perfeito a frustração – A decepcionante temporada 20-21 do Borussia Mönchengladbach

Os protestos da torcida demonstraram o tamanho da frustração com o ex-técnico (Foto: Divulgação/GettyImages)

Chegando ao fim da temporada 2020-2021, relembramos a trajetória do Borussia Mönchengladbach em uma campanha marcada pela frustração de expectativas criadas pela campanha passada dos Potros.

Ao final da temporada passada, a felicidade reinava em Mönchengladbach após a equipe alcançar o 4º lugar da Bundesliga e uma das melhores pontuações (65 pontos) da história recente da equipe, coroando a aposta certeira no técnico Marco Rose, respaldado pelo excelente futebol praticado pela equipe, mesmo colocando em conta a eliminação vexatória na fase de grupos da Uefa Europa League, diante do Istanbul Basaksehir (além de Roma e Wolfsberger).

Depois de sofrer por alguns anos com o futebol burocrático do Dieter Hecking, o Borussia Mönchengladbach parecia finalmente ter encontrado na figura do técnico Marco Rose, o casamento perfeito para a continuidade do bom trabalho realizado por Max Eberl no comando esportivo da equipe. Jogadores jovens, futebol ofensivo e atrativo, algo que sempre encheu os olhos da torcida dos Potros, equipe notoriamente reconhecida por essa filosofia, que inclusive dá nome a alcunha do clube (potros).

No entanto, para recapitular a atual temporada, precisamos de contexto já citado anteriormente e também da lembrança reta final da temporada passada (2019-2020), quando o Gladbach teve desfalques importantes na reta final da Bundesliga, com a ausência da dupla francesa Alassane Pléa e Marcus Thuram, ambos lesionados. No início da atual campanha, ambos ainda estavam retornando das respectivas lesões e, sendo assim, perderam toda a pré-temporada com a equipe, algo fundamental em tempos normais e ainda mais imprescindível em um calendário complexo como o atual.

Dessa maneira, tomando a abertura da Bundesliga como exemplo, o Gladbach foi facilmente superado pelo Borussia Dortmund por 3 a 0, e, naquela partida, não contou com a dupla francesa na equipe titular por questões físicas já mencionadas. Dali em diante, a expectativa passou a figurar como frustração, tendo em vista que o Gladbach não conseguia engatar uma boa sequência de vitórias e, por muitas vezes, cedeu empates nos confrontos no Borussia-Park.

Recuperados, mas longe do melhor nível, Marcus Thuram e Alassane Pléa, peças fundamentais da temporada passada, anotaram, juntos, apenas quatro gols em todo primeiro turno da Bundesliga, dividindo dois gols para cada. No caso de Thuram, ainda com o agravante de um ato de disciplina ao cuspir no zagueiro Posch, do Hoffenheim, situação que levou o atacante a perder quatro partidas da Bundesliga.

Thuram e Pléa brilharam na campanha do Gladbach na Champions, mas deixaram a desejar no 1º turno da Bundesliga (Foto: Divulgação/Bundesliga)

Enquanto as coisas andavam de forma turbulenta na Bundesliga, a situação na Uefa Champions League era diferente – retornando a competição desde 2016-2017, o Gladbach iniciou a fase de grupos com dois jogos espetaculares diante da Internazionale de Milão e do Real Madrid, no entanto, sucumbiu no fim das duas partidas e acabou cedendo o empate (2 a 2 nos dois jogos). De forma mais cruel, diante do Real Madrid, confronto em que os Potros abriram dois gols de vantagem e ainda tiveram chances para sacramentar o resultado e por fim, acabaram fraquejando perante a imensurável força do maior campeão da competição.

Nos embates seguintes, em dois confrontos diante do Shakhtar Donetsk, o Borussia Mönchengladbach provavelmente viveu o ápice da temporada, ao aplicar sonoros 10 a 0 no somatório das partidas diante dos ucranianos. Esses resultados, somados a uma certa dose de sorte, levaram o Borussia a épica classificação para a fase mata-mata da maior competição de clubes do planeta, algo que o clube não alcançava desde 1976-1977, quando foi vice-campeão contra o Liverpool.

No único momento de alegria da temporada, o elenco se reuniu para acompanhar a classificação as 8ªs da UCL (Foto: Divulgação/Tribuna)

Passada a felicidade, o ápice dos Die Fohlen na temporada, o Gladbach voltou para a realidade na Bundesliga e após um bom início de ano, com resultados expressivos diante de Bayern de Munique e Borussia Dortmund, superando ambos, os Foals voltaram a declinar, especialmente ao sofrer uma derrota dolorosa no Rheinderby contra o Köln, maior arquirrival e freguês do Borussia – situação que ficou marcada na ira dos torcedores ao presenciarem uma escalação de sete reservas em um jogo dessa magnitude.

“Nenhum mercenário está acima do clube – deixe o clube imediatamente, seu porco sem caráter”, foi a faixa que a torcida do Gladbach deixou no Borussia-Park após a decisão da saída do antigo treinador. (Foto: Divulgação/GladbachLive)

Indignados, os torcedores protestaram fortemente contra o técnico Marco Rose, naquela altura, com o futuro incerto em meio as especulações de que se juntaria ao Borussia Dortmund, algo que foi confirmado nas semanas seguintes, causando um alvoroço ainda maior nos sentimentos da torcida. Enfurecidos, os torcedores protestaram de todas as formas possíveis, até com faixas com disseres fortes, acusando o treinador de ser um “porco mercenário” e ambicionando a saída do treinador.

O impacto dessa decisão foi imediato e o Borussia Mönchengladbach, já irregular, colapsou e passou por momentos delicados, chegando a nove partidas sem vencer e a sete derrotas consecutivas – marcas negativas na história do clube, além da eliminação para o Dortmund na DFB Pokal, que mesmo sem culpa do técnico Marco Rose, a ferida já estava aberta para os torcedores. Nas oitavas da Champions League, em duas atuações nada inspiradoras, o Borussia foi facilmente batido em um duplo 2 a 0 diante do Manchester City, finalista da competição.

Caminhando para o fim da temporada, o Gladbach ainda teve momentos esporádicos do bom e velho Borussia, como nas goleadas sobre o Eintracht Frankfurt, do futuro técnico Adi Hütter, por 4 a 0, e diante do Arminia Bielefeld, por 5 a 0. No entanto, a pior versão da equipe também pôde ser vista na derrota para o Hoffenheim, de virada, por 3 a 2, depois de uma atuação patética no segundo tempo e também no massacre de 6 a 0 para o Bayern de Munique, provavelmente em uma das atuações mais vexatórias da história do clube.

Com 17 gols e 14 assistências em 42 jogos (14 gols e 10 assistência em 30J na Bundesliga), o ‘capitano’ Lars Stindl foi um dos poucos a honrarem a camisa (Foto: Divulgação/WZ)

Sem alma, sem luta e sem ambição, a exibição do Borussia M’Gladbach diante do maior campeão do país foi constrangedora até mesmo para os especialistas esportivos, também indignados com a apatia dos jogadores. Fato que não surpreende a própria torcida do Borussia, por exemplo, testemunha da irregularidade da equipe de momentos absurdos como esse, situação corriqueira ao longo de toda temporada, fazendo, inclusive, com que os Foals aparecessem como a equipe que mais desperdiçou pontos após liderança no placar.

Segundo o técnico Marco Rose, não há problema de mentalidade ou algo na equipe, tendo em vista essas situações, porém, o técnico não teve sucesso durante toda a temporada para solucionar isso ou até mesmo solucionar a péssima composição defensiva da equipe, uma das piores defesas do campeonato (56 gols sofridos), mesmo tendo três dos melhores nomes dentro da competição (Bensebaini, Ginter e Elvedi). Portanto, a temporada 2020-2021 nada mais é do que um enorme fracasso do Borussia Mönchengladbach, especialmente pela impressão deixada na campanha passada e pela equipe a disposição do técnico Marco Rose.

O casamento entre Marco Rose e Borussia Mönchengladbach parecia perfeito para ambas as partes, mas se encerra em um capítulo de extrema frustração, principalmente para os Potros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: