A evolução silenciosa e surpreendente de Jonas Hofmann no Borussia Mönchengladbach

Foto: Divulgação/Bundesliga

Convocado pela primeira vez para a Die Mannschaft, algo até surpreendente para alguns, não poderia ter um momento mais justo para a convocação de Jonas Hofmann (28), meia do Borussia Mönchengladbach e que por muitos anos foi motivo de críticas da torcida.

E meio a um surto de lesões dos pontas da equipe, o Borussia Mönchengladbach, em 2016, recorreu a contratação de Jonas Hofmann junto ao Borussia Dortmund por €8M, uma quantia surpreendente para um jogador que não havia se firmado nos aurinegros, apesar de uma boa passagem pelo Mainz 05.

Mesmo diante de várias ausências, Hofmann foi pouquíssimo utilizado naquela temporada – foram apenas oito jogos, sendo somente um como titular, o jogo final da temporada, diante do Darmstadt. Com a saída de André Schubert e a chegada de Dieter Hecking, o meia começou a ter mais oportunidades, mesmo sem corresponder em campo. Em 16-17 e 17-18, Hofmann atuou por 21 e 23 jogos, respectivamente, contribuindo com somente seis assistências nesse período.

Na campanha seguinte, em 18-19, Hofmann começou a melhorar o desempenho e teve bons lampejos – foram cinco gols e cinco assistências em 27 jogos pela Bundesliga, mas o meia passava longe de ser uma unanimidade para a torcida.

Com a chegada de Marco Rose, a expectativa era de que o meia-atacante perdesse ainda mais espaço, devido as ideias do técnico, mas foi aí que o meia passou a demonstrar suas qualidades e poder de adaptação. Na primeira metade do campeonato, Hofmann basicamente ficou fora por lesão e posteriormente como opção no banco de reservas, mas tudo mudou na 14ª rodada da Bundesliga, quando o meia foi titular e teve boa participação no triunfo diante do Bayern de Munique por 2 a 1, de virada, no Borussia-Park.

Depois da virada do ano, Jonas Hofmann passou a ser ainda mais fundamental para o Gladbach – algo que pode ser elogiado no desempenho do meia no insólito empate diante do Leipzig por 2 a 2, fora de casa, quando teve uma excelente atuação. Na reta final, com muitos desfalques, Hofmann, ao lado de Embolo, foi fundamental para a conquista da vaga para à Uefa Champions League.

Hofmann anotou dois gols diante do Wolfsburg (3-0) e contribuiu com gol e assistência no jogo decisivo diante do Hertha Berlin, na rodada final, assegurando o 4º lugar na tabela de classificação. No geral, Hofmann atuou menos que na temporada anterior, colecionando 24 aparições, com cinco gols e três assistências, mas o impacto na equipe supera os números frios – com ele em campo, o Borussia teve média de 2 pontos por partida.

Na atual temporada, apesar de um início um pouco lento da equipe, Jonas Hofmann já distribuiu três assistências em três partidas, algo que certamente teve papel fundamental para Joachim Löw convoca-lo. A capacidade tática e a ótima ocupação de espaços fizeram com que Hofmann conseguisse uma evolução totalmente inesperada, mas não é algo que surpreenda tanto assim, tendo em vista que é comandado por Marco Rose, técnico extremamente capacitado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: