Fim da linha para Dieter Hecking

dieter
Foto: Divulgação/Sport

Apesar de usualmente os resultados de pré-temporada não significarem muito, o estilo de jogo de Dieter Hecking não vinha agradando, mesmo com a utilização de muitos garotos nas primeiras partidas. Com a mesma base das últimas temporadas e boas adições, como a chegada de Vincenzo Grifo, Hecking tinha e ainda tem a missão de levar o Gladbach novamente às competições europeias.

Pouco depois de completar um ano de sua contratação pelo Borussia Mönchengladbach, o treinador Dieter Hecking mostrou muito pouco desde que assumiu a equipe. Depois de um início promissor, principalmente fora de casa, nenhuma evolução foi vista no futebol dos Potros. Atualmente a equipe ocupa a 7ª colocação na Bundesliga, fora da zona de classificação às competições europeias, e com o pior saldo entre os primeiros colocados (-2).

O coração da defesa é outro problema do Gladbach, que atualmente conta com Vestergaard e Ginter no setor – o defensor dinamarquês segue falhando praticamente em todos os jogos, mas não é contestado. Nico Elvedi, por outro lado, vem tendo as melhores exibições entre os jogadores de defesa, tanto na lateral ou na zaga – como nas últimas partidas. Juntamente com o sistema defensivo, os demais setores da equipe não funcionam, em consequência do péssimo trabalho realizado por Hecking. Yann Sommer, destaque há duas temporadas, vem em declínio técnico vertiginoso desde a temporada passada, falhando constantemente, e sequer é questionado, também, assim como Oscar Wendt, titular absoluto e sem ameaça alguma na posição, uma vez que o clube não possui outro lateral esquerdo no elenco desde a saída de Nico Schulz.

O meio-campo, apesar da boa presença de Denis Zakaria e do promissor Mickaël Cuisance, sofre na marcação e permite espaço para os adversários – algo que pode ser visivelmente explicado pelo esquema tático adotado por Hecking, ineficiente em todas as áreas. O ataque, consequentemente, sobrecarregado pela péssima distribuição tática, vem apresentando pouco. Stindl e Raffael, jogadores mais importantes do clube, não estão tendo boas atuações, essencialmente pela falta de coesão tática da equipe. Stindl, por exemplo, possui números ofensivos inferiores ao do zagueiro Matthias Ginter na temporada.

O desempenho da equipe como mandante, iniciou historicamente aquém do que os Potros vinham apresentando ao longo das últimas temporadas, todavia, recentemente, mesmo com exibições fracas, o resultado melhorou. No momento, os Foals ocupam a 3ª colocação no retrospecto como mandante, com seis vitórias, dois empates e duas derrotas. Em contrapartida, fora de seus domínios, o Gladbach possui somente a 9ª posição, com 11 pontos conquistados em dez partidas e saldo negativo de (-6). Dieter Hecking acumula 75 gols a favor 81 contra, em um saldo negativo de (-6), contabilizando somente as 54 partidas comandadas pelo treinador na Bundesliga.

Graças a um campeonato nivelado por baixo, caso da Bundesliga na atual temporada, a equipe – ao menos neste momento – tem boas possibilidades de alcançar uma vaga nas competições europeias, apesar do futebol pobre apresentado. A torcida, por outro lado, vem se mostrando cada vez mais insatisfeita com as apresentações da equipe, tendo em vista que o Borussia é comumente reconhecido por um futebol atrativo e ofensivo, algo contrastante com o futebol jogado pela equipe neste momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: